Aula de dança com Bambolê

Aula de Dança com Bambolê a Bambodança no Dia 21 de Março de 2015   no Parque do Ibirapuera.

20101010_BamBamBam_0301

Bambodança Nível 1

Vamos comemorar a chegada do Outono com muito bamboleio, alegria, diversão e se exercitar brincando no Parque do Ibirapuera.
Vão ser 4 horas de Bambodança com um pequeno intervalo para um Pic Nic!!!

- Girar Bambolê na Cintura
- Girar Bambolê no Quadril
- Passar Bambolê
- Flutuante
- Girar em torno da Mão e acima da Cabeça
- Tirar Bambolê do Corpo e recoloca-lo

(Parque do Ibirapuera, gramado ao lado da Marquise e Parque)

Investimento:

Para clientes Bambodança o valor é de R$99,00 o Workshop.

Workshop R$120,00

Workshop + Bambolê Investimento de R$150,00 até o dia 20/03

Vagas Limitadas,

Faça sua inscrição confirmando pagamento via deposito;

Banco Itaú – AG:1381 C/C:35734-0

Banco Caixa- AG:2978 C/C:1349-6 – Operção – 003

Contato: Patricia Nabarrete Arnosti
Telefone: 9-8050-9219 ( Vivo) ou 11-3593-1647
email: patricia@bambodanca.com.br

www.bambodanca.com.br

Kundalini Bambodança

10420414_10152869503917930_6368656519668479642_n

Kundalini Bambodança

Você já ouviu falar em kundalini Bambodança, Kundalini Hoop Dance? Não se assuste com o nome, se nunca ouviu vamos lá!

Kundalini é uma energia física que se concentra na base da coluna espinhal. Uma energia de natureza neurológica que transita entre os chakras. Em sânscrito, kundalini significa “enrolada como uma cobra” ou “aquela que tem a forma de uma serpente”. Estimado em sete mil anos, esses ensinamentos eram transmitidos apenas entre Gurus em templos e monastérios. Com o tempo estes conhecimentos foram disseminados e se aliados às outras praticas como o yoga e o próprio hoop dance.

Na yoga a junção com a kundalini possibilita o ser humano unir sua consciência cotidiana à sua consciência cósmica, através da pratica de uma sequência de meditações e exercícios combinados. O intuito é que a pessoa consiga perceber a energia se movimentando dentro de si e direcionar esse fluxo para estimular os chakras.

Chakras, outro nome complicado, não é? Bem explicando rapidamente essa palavra que dizer “roda” ou “disco”, em sânscrito. Imagine sete rodinhas de energia localizadas em frente a sua coluna, posicionadas desde a base da coluna até o alto da cabeça. Cada chakra recebe, armazena e transmite energia em órgãos específicos, glândulas endócrinas e os vários sistemas do corpo. E quanto mais desenvolvidos os chakras estiverem para receber e transmitir, melhor será sua saúde e bem-estar. Não foi tão difícil não é mesmo?

Mas afinal onde tudo isso se liga ao bambolê? Como o cultivo da energia kundalini é possível de diversas formas, o exercício com bambolê vem para auxiliar na distribuição de todo esse fluxo energético no corpo. Assim como na yoga, a pratica da kundalini com o bambolê auxilia no fortalecimento e relaxamento das musculaturas e do metabolismo. Além disso, aumenta a capacidade respiratória e o nível de vitalidade física e psíquica.

Acredita-se que o estado de nossa energia pode ser influenciado pela qualidade das nossas experiências, o ambiente que nos rodeia, a natureza de nossas ações e pensamentos. Por isso a pratica do bambolê pode auxiliar muito no desenvolvimento do kundalini de cada um.

Através dos movimentos circulares é possível desfrutar dessa energia potencializada dentro de nós. A Kundalini, quando alimentada corretamente, pode ser a chave para saúde e longevidade. O movimento da energia kundalini pode permitir aos chakras operarem em sua capacidade máxima. O que por sua vez, limpa a aura criando a sensação de bem-estar fisiologicamente, psicologicamente e espiritualmente.

Percebemos então que, através dessa pratica o bambolê pode nos auxiliar muito mais do que a conseguir uma cintura fina. Aqui percebemos sua eficácia no campo espiritual ajudando as energias circularem em nosso corpo como engrenagens.

 

 

 

Move Brasil

Inspirado no movimento “Now we are”, criado em 2012 na Europa, o Move Brasil é uma campanha que chegou para movimentar os brasileiros através do incentivo à prática de atividades físicas,  facilitando o acesso aos esportes. O objetivo na Europa é mover 100 milhões de pessoas até 2020, no Brasil a meta é aumentar o número de brasileiros ativos até 2016.

Do Oiapoque ao Chuí, a “Semana Move Brasil” tem como objetivo tirar o maior número de brasileiros do sedentarismo. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) 80% da população é sedentária, um número alarmante. A campanha quer mostrar às pessoas que a prática de esportes é algo prazeroso e que proporciona também uma melhoria na qualidade de vida.

Futebol, beisebol, capoeira, dança, corrida, caminhada, lutas…  As opções são vastas em todo o território nacional. Dezesseis estados fazem parte da “Semana Move Brasil”. Você confere o que está acontecendo na sua cidade e escolhe o que mais lhe atrai. E mais! Você pode fotografar o esporte que te move e compartilhar nas redes sociais com as hashtags #Instamission189 e #MoveBrasil. Segundo a fanpage do Move Brasil, mais de 2.000 pessoas já participaram.

Neste último sábado, em São Paulo, aconteceu a segunda edição da Pedalada Noturna. Com um tempo agradável centenas de ciclistas curtiram um passeio por vários pontos turísticos da cidade. No mesmo dia aconteciam aulas gratuitas de Pilates ao ar livre no Parque Villa Lobos. E a Bambodança não podia ficar fora dessa! Teve aula aberta em Mauá para mães e familiares das alunas. De quinta a domingo das 10h às 17h, acontecerão aulas no SESC Pompeia. Sem contar nas outras atrações que estão rolando em diversos lugares da capital, durante toda a semana.

O Move Brasil é uma ação permanente e aberta a todos que tenham interesse em difundir essa mensagem e que queiram levar esportes e atividades físicas à rotina dos brasileiros. A iniciativa foi criada em 2012 e é resultado da colaboração de empresas e instituições.

Os atuais Movedores, nome dado aos que se identificam com o objetivo da campanha, são: Serviço Social do Comércio (Sesc), Ministério do Esporte, Ministério da Saúde, Associação Cristã de Moços (ACM/YMCA), Atletas pela Cidadania,  Autoridade Pública Olímpica (APO) e Associação Internacional de Esporte e Cultura (ISCA).

Respeitando os direitos e a diversidade cultural, o Move Brasil quer que as pessoas encontrem e façam o que mais gostam. E não para por ai não! Nos próximos anos pretende-se que essa rede de parceiros cresça e que outras ações aconteçam.

Como se não bastasse o problema do sedentarismo entre os brasileiros, segundo dados do Ministério da Saúde, 64% da população está com sobrepeso. Então, a prática de esportes e atividades físicas se torna imprescindível. Veja o esporte que mais lhe agrada e movimente-se!

 

Bambolê é sensação no Burning Man

Encontramos o bambolê em um dos lugares mais inóspitos do planeta: o deserto de Nevada, nos Estados Unidos. Isso mesmo! Ele virou sensação entre os participantes de um dos festivais mais alternativos no mundo: o Burning Man. Antes de explicar o que rolou, conheça um pouquinho sobre o festival.

Considerado o maior evento de contracultura do mundo, o Burning Man acontece anualmente em uma cidade provisória chamada Black Rock City, no meio do deserto de Nevada. Sempre no feriado do Dia do Trabalho americano, o evento dura oito dias e reúne cerca de 60 mil participantes.

O festival foi criado por Larry Harvey, que em 1986 queimou um boneco de madeira junto com seus amigos em uma praia da Califórnia, não se sabe bem o porquê. Na ocasião, o boneco tinha 2,5 de altura e havia 20 pessoas assistindo. Hoje, o boneco tem 40 metros de altura e o número de participantes cresce a cada ano.

Os ‘Burners’, como são chamados os participantes, têm a tradição de circularem nus, com corpos pintados ou com fantasias criativas por todo o evento. No festival, todos são livres, iguais e se respeitam para fazerem o que quiserem, sem julgamento. Ou seja, todos estão ali para se expressarem não importa como o façam. Mas claro que existem alguns limites como, por exemplo, a proibição do uso de drogas.

Outra proposta do evento que quer ser uma alternativa para a sociedade consumista é a proibição do uso de dinheiro. Lá, a moeda de troca é a doação e mão-de-obra. Por esse motivo, a organização ressalta que você deve levar tudo o que precisa para sobreviver oito dias no deserto, principalmente água, muita água.

No penúltimo dia das celebrações, o ápice acontece: a queima do gigantesco boneco de madeira. E no outro dia tudo desaparece, todos partem do local sem deixar vestígios.

No evento de 2012, com auxílio de uma câmera Gopro, os participantes – em sua maioria mulheres – mostraram sua experiência com o bambolê no hoop dance. Um vídeo viral fez muito sucesso na internet. Nele, podemos ver diversas mulheres dançando com o bambolê. Fantasiadas ou com pouca roupa, elas dançam e se divertem com o brinquedo no meio do deserto. Um cenário magnífico para as performances.

Mas o mais legal é a sensação passada pelo vídeo, que mostra a perspectiva do interior do brinquedo, é fantástico o efeito criado pela câmera dentro do arco. Ideia muito legal que agregou ainda mais à diversidade proposta pelo evento. Vale conferir!

http://youtu.be/Ea3RAkGqYC8

PS: Aviso! Se você tem vertigem ou labirintite é melhor não olhar .